domingo, 19 de maio de 2013

in milione



                                                                                     Foto de E.M.


Ser poético e profético
necessidade dos anárquicos
porque esse presente já não releio
preciso de novas histórias
talvez de sangue,
talvez de fúria,
talvez num mar em vermelho,
talvez na insônia,
nas madrugadas inquietas
e talvez eu seja, e seja.
e não seja...
mas seja o imperador
o mistério intemerato
seja quem nunca foi
ou seja essas ligações desiguais
seja um desencanto
aquele que tudo destrói
seja o Talvez
e que este lhe traga a profecia
aquela perdida e encontrada
como estes paraísos esguios
rasteiros e temidos no hoje
e hoje brincarei de ser profeta.


Edson Moura,  em  13/12/2012 

Nenhum comentário:

Postar um comentário