quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pequenos ecos, grande ressonância...


Uma TV Publica de Verdade para uma nova Sociedade

        (Texto de Gilbeto Geraldo, em 26 de Julho de 2012)

     Nesta quarta, 25 de Julho, aconteceu em Recife a audiência pública da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) esta é responsável pelos rumos da TV Brasil e mais 8 rádios publicas. A surpresa da audiência foi a determinação de Eduardo Campos, de investir 25 milhões de reais na TV Pernambuco, fato que surpreendeu a todos. Porém datas para que isso chegue a ocorrer não foi dada.
       A quem trabalha ou assiste e torce por uma TV de qualidade e com princípios realmente públicos a noticia é de encher os olhos. Porém é preciso que para nossas lágrimas de alegria realmente tenham sido bem derramadas, que estas palavras virem fato.
Tenho um carinho enorme como telespectador pela TV Pernambuco, foi nela que assisti ao filme “O dia em que Dorival encarou a guarda” de Jorge Furtado, que me encheu de encantos e orgulho pela produção cinematográfica nacional, e de alguma forma me fez não apenas ver o mundo com ares de um desobediente civil como também me levou a escolher a comunicação social como meio de ser alguém para e em prol da sociedade.
         Penso que temos uma possibilidade real através dos meios de comunicação publica levar a sociedade um novo pensar brasileiro, não adianta termos melhores condições econômicas se i não vier junto com melhores condições de vida em todos os sentidos, e isso só se conquista com o sentimento de cidadania aguçado. Na reunião da EBC fiz questão de falar, mesmo com o corpo todo a tremer, pois senti a responsabilidade social a me chamar.
        Entre os pontos defendidos era necessário explicar ao presidente da EBC que TV Pública não se preocupa com audiência, pois mais importante que os números do IBOPE é o pensamento da população que chega através da sua Ouvidoria. Foi através da ouvidoria que se fez necessário se repensar o espaço dado as religiões na sua programação. Sou a favor que não tenha programação religiosa na TV? Não é o caso. Sou a favor que se tenha espaço para todas as religiões e não que especificamente uma religião obtenha o espaço da programação para levar a sua doutrina.
        Era necessário se falar que para que as regiões e estados brasileiros se integrem a TV Brasil, seja preciso que o seu conselho curador tenha representantes de todos os estados e não apenas indicados pela presidência da republica. Era necessário falar que as produções audiovisuais patrocinadas pela Ancine tivesse em seus contratos a contrapartida de serem exibidas na TV Brasil. Assim como as produções patrocinadas pelo Funcultura da mesma forma sejam exibidas pela TV Pernambuco. Entendo que se o dinheiro para a produção é publico, esse público tem o direito de ter acesso a mesma.
          Era preciso falar que ao se criar a EPC (Empresa Pernambuco de Comunicação) que todo o estado seja lembrado e no mínimo que sua curadoria (se ela for existir) que seus membros estejam distribuídos pelas regiões do estado e não apenas por pessoas e entidades da capital pernambucana.
E finalmente, era necessário falar que a produção cultural do estado possa ter espaço na programação da TV Pernambuco, assim teremos uma TV Pernambuco forte, com respaldo social em todo estado por este conseguir se ver, e termos nos artistas a possibilidade se mostrar a todos. Pernambuco precisa conhecer Pernambuco.
         Ao ouvir o Deputado Luciano Siqueira dizer que sua maior emoção na vida foi ver a Orquestra Sinfônica em um bairro popular do Recife. Futuramente gostaria de ver ele dizer que uma emoção superior lhe acometeu ao ver o Maracatu, o Coco, a Mazurca, a Ciranda, o forró pé-de-serra, o teatro de mamulengos, o rock, os artistas e tantas outras manifestações populares terem apresentações freqüentes, digamos, no Teatro Santa Isabel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário